Live Evil

7º TRIUMPH OF METAL

16 de novembro de 2013, Clube de Campo Fernão Dias - Pouso Alegre/MG

A sétima edição do “Triumph Of Metal Festival”, realizada no último dia 16 de novembro em Pouso Alegre (MG), reuniu nove bandas dos mais variados segmentos do Rock pesado. Por uma questão de logística não consegui assistir a apresentação de todas as bandas, mas o que vi foi o suficiente para voltar pra casa com a certeza de que algo de bom está acontecendo na nossa tão questionada cena metálica brasileira. Estes festivais estão sendo a alternativa encontrada para que as bandas possam se apresentar já que shows ‘solo’ de músicos autorais ainda não fazem parte do circuito de apresentações dominado por bandas cover. Fato é que essas apresentações coletivas atraem cada vez mais público e mostram que existe sim um mercado a ser explorado, mas essa é uma outra discussão.

O evento, marcado para começar às 16h, teve apenas um pequeno atraso, que não afetou em nada o cronograma das bandas que se apresentaram no Clube de Campo Fernão Dias, um belo espaço para esse tipo de evento, diga se de passagem. Cerca de 1200 pessoas puderam acompanhar confortavelmente pouco mais de 10 horas de boa música em um local privilegiado. Quando cheguei, a banda LADO DE LÁ, representante da cidade, já havia deixado o palco e o FUNERATUS apresentava seu Death Metal ensurdecedor abrindo os trabalhos de quem se amarra numa roda de pogo.

Na sequência fomos todos brindados com o Rock’n’Roll irreverente da banda BARANGA que mostrou mais do que boa música: mostrou músicos insanos que se apresentam de forma insana para uma audiência insana. Impossível não se contagiar com a performance dos músicos que interagiram o tempo todo com a plateia. O guitarrista Deca chegou a tocar no meio do público e só não foi mais adiante porque o cabo da guitarra não era suficientemente comprido para tanto.

Logo em seguida foi a vez da lendária SALÁRIO MÍNIMO que conseguiu fazer com que duas gerações de rockers se comportassem como que num show de uma banda internacional. China Lee e seus asseclas mostraram que são tão bons no palco quanto qualquer músico gringo que vem até o Brasil, toma nosso dinheiro e volta pra casa. Após o show, todos os músicos da banda se misturaram ao público para fotos, autógrafos e confraternização sem nenhum estrelismo. Impossível não se emocionar ouvindo verdadeiros hinos do Metal nacional compostos há quase trinta anos. A base do show, aliás, foi em cima do primeiro álbum da banda, “Beijo Fatal”, de 1987.

Quem tratou de incendiar de vez a platéia foi a também lendária CHAKAL que ensandeceu os presentes com um Thrash animalesco e ainda competente que fez dessa uma referência nos anos 80. Vladimir Korg continua sendo o mesmo vocalista performático de sempre e esbanjou simpatia durante e após a apresentação.

 

Recomendamos Para Você

Close