Entrevistas

CEPHALIC CARNAGE

INTRINCADA BRUTALIDADE

O Cephalic Carnage está na estrada desde 1992, sempre primando por fazer Death Metal, aliado às mais diversas influências tanto dentro como fora do Metal. A diversidade de sua música é latente, assim como o talento de seus músicos em forjarem uma sonoridade brutal e ainda inovadora. Atualmente formada por Leonard “Lenzig” Leal (vocal), Steve Goldberg e Brian Hopp (guitarras), Nick Schendzielos (baixo e backing vocals) e John Merryman (bateria), esta banda originária do estado do Colorado (EUA) lançou no final de 2010 o álbum Misled By Certainty, uma pedrada brutal que merece ser conferida. E é principalmente sobre ela que falamos nesta entrevista a seguir com o vocalista Lenzig.

Fale-nos sobre álbum Misled By Certainty e o que ele traz de novo em relação ao anterior, Xenosapien (2007)?
Lenzig Van Stroking Off:
 Obrigado pelo apoio ao Cephalic Carnage, vocês são demais! Bem, nosso objetivo era fazer um álbum que não soasse como Xenosapien. Quisemos inovar um pouco o estilo do Cephalic com o novo trabalho, que é um pouco mais diversificado, mas ainda brutal quando tem que ser. Além disso, é mais pesado que e um pouco mais progressivo, também. Há elementos para todos os fãs do Cephalic neste álbum!

Apesar da brutalidade, os álbuns do Cephalic têm grandes produções…
Lenzig: 
A produção é muito importante. Ajuda quando os fãs querem ouvir os guitarristas “peidando” enquanto executam um solo… Brincadeiras a parte, a produção é um elemento realmente importante para nós!

A música do Cephalic é bastante complexa e técnica. Como vocês criam e o quão difícil é chegar a um resultado final?
Lenzig:
 Nós não temos muita certeza de como vai soar. É possível que acabemos com um monte de canções épicas no estilo de Repangaea. Steve e Brian são guitarristas técnicos, que se complementam com John e Nicks, que têm um estilo mais progressivo. Eu e Nick apenas tentamos encaixar os vocais no meio disso tudo. No final das contas nos divertimos, escrevemos músicas entre irmãos… Então tocando ao vivo é o que nos faz realmente crescer.

Já que citou a Repangaea, última música de Misled By Certainty, ela tem quase 12 minutos de duração, e é diferente dos demais sons do álbum. Além dos vocais limpos, saxofone, ela vem em um estilo bastante peculiar. Qual a proposta da banda neste épico?
Lenzig:
 Nós temos um EP chamado Halls Of Amenti (2002), que tem cerca de 20 minutos de puro Doom Metal, uma música chamada G.O.D. (Global Overdub Device) no Xenosapien e outra chamada Ontogeny Of Behaviour no Anomalies, e a Repangaea é uma continuação destas faixas. É bastante desafiador escrever coisas lentas quando sua mente está treinada a fazer Grind.

Hoje em dia, há diversas bandas praticando o chamado Brutal Death Metal. O que você pensa sobre o surgimento de tantas bandas assim?
Lenzig: 
É preciso forjar uma identidade, se inspirando em bandas que você gosta, mas tentando não soar como elas. É difícil, há que se praticar muito.

Dave Otero trabalha com a banda há algum tempo. De que forma ele contribui na produção?
Lenzig:
 Seu nome, nós fizemos o resto. Estou brincando (risos). Dave ajuda nos arranjos, padrões vocais, entre outras coisas. Além disso, é uma pessoa fácil de se tratar e sabe o que está fazendo e sabe buscar o melhor em você.

Fale-nos a respeito dos músicos convidados para o álbum. Como fizeram os convites para estes grandes nomes do Metal Extremo, como Alex Camargo, Blaine Cartwright, Ross Dolan, Zac Jefferson, Dave Otero, Travis Ryan, Keith Sanchez e Sherwood Webber?
Lenzig:
 Muitos destes caras estavam em turnê quando estávamos gravando, mas ainda assim fizemos o convite! E eles todos aceitaram. E nós estamos honrados em ter estas vozes doentes em Misled…

Falando em turnê, vocês tocaram com Psycroptic na Alemanha, Itália, França, Espanha… Como foi isso?
Lenzig:
 Incrivelmente divertido. Grandes plateias, grandes momentos, algumas das melhores pessoas para estar ao lado, uma boa erva e muita bebida e comida! Mal posso esperar para voltarmos aos festivais no verão.

Certamente é uma pergunta clichê, mas quais as principais influências que vocês buscam para aliar ao som do Cephalic? Pergunto isso porque sua música é muito heterogênea e podemos ouvir vários estilos dentro da mesma música.
Lenzig: 
Nós simplesmente amamos música e na vida qualquer coisa pode nos inspirar! Isso que nos alimenta.

Por favor, deixe suas palavras finais aos leitores da ROADIE CREW.
Lenzig: 
Obrigado pela sua ajuda ao Cephalic Carnage. Nós amamos nossos fãs, sem vocês não seríamos nada. Confiram a banda Scalfrea em nosso selo, Hybrid Records, e também nosso site (www.cephalic-carnage.com). Mais uma vez muito obrigado Marcello e ROADIE CREW. Mantenham a cena viva.

Cinco melhores álbuns segundo Lenzig
Black Sabbath – Mob Rules
Iron Maiden – Iron Maiden
Scorpions – In Trance
Slayer – Show No Mercy
Queens Of The Stone Age – Songs For The Deaf

Recomendamos Para Você

Veja Também

Close
Close