Live Evil

CHIMAIRA E BORN OF OSIRIS

Carioca Club - São Paulo (SP), 08 de dezembro de 2013

Um dos últimos eventos de 2013 promovido pela Liberation foi o show inédito das bandas americanas Chimaira e Born of Osiris. A primeira foi formada no final da década de 90, constantemente é rotulada como Metalcore, mas está bem distante do visual padrão cabelo desfiado e das músicas com sintetizadores. A banda integra (e é a mais badalada da) chamada NWOAHM (New Wave of American Heavy Metal) cena composta também pelo Killswitch Engage, outra que também passou pelo Brasil este ano. A tour sul americana trouxe outro inédito em terras brasileiras, o Born of Osiris, que, apesar de não ser a atração principal, atraiu muito mais fãs e foi o grande destaque desta única apresentação conjunta no Carioca Club.

Quem deu início aos trabalhos foi a brasileira Skin Culture. A banda deu um tempo há um ano, voltou à ativa e lançou recentemente “The Flame Still Burns Strong”, álbum que conta com muitas participações especiais. Algumas desse disco como “Set me free” e “Here I preach” foram executadas, além da cover de “Slave new world” do Sepultura.

Em seguida, já com a casa bem mais cheia, veio o Born of Osiris. A banda americana comemora dez anos de estrada em 2013 e divulga seu mais recente disco, “Tomorrow we die alive”, lançado em agosto. O show foi virtuoso no palco, comcircle pit e fãs enlouquecidos na pista, mas até bastante curto para suprir tanta expectativa. Abriram com a barulhenta “Machine”,seguida por “Divergency” e “Ascension”. O set de dez músicas foi basicamente baseado no disco mais recente, mas sons já consagrados como “Follow the signs” e “Open arms to damnation” estiveram presentes. Encerram com “Recreate”. Curiosamente, após o show e a intensa troca de energia de banda e público, uma boa parte da galera simplesmente debandou deixando um buraco enorme na pista para o show principal da noite. Bem estranho e diferente das apresentações anteriores dessa tour em países como Chile e Argentina onde o público, segundo vídeos e postagens nas redes sociais, foi bem mais receptivo com uma banda que, principalmente no Brasil, muitos pediam e esperavam para ver por aqui.

Um atraso era previsto antes do show do Chimaira, já que um dos integrantes perdeu o vôo de conexão no Chile. A produtora conseguiu resolver a situação e o fato, para quem não sabia do ocorrido, foi quase imperceptível. A banda subiu completa ao palco com a intro rolando, muita gritaria dos presentes que sobraram, abrindo o show com “The Venom inside”. A energia e o carisma do vocalista e fundador da banda, Mark Hunter, ficaram explícitos já no primeiro som. Com algumas mudanças sutis, o set (também curto) é basicamente o que eles vem usando nesta tour de divulgação do mais recente disco, “Crown of Phantoms”, lançado este ano. A diferença em relação à apresentação anterior foi a presença de alguns dos maiores hits da banda como “The Dehumanizing process”, “Power trip” e “Pure Hated”. Porém, alguns da fase considerada mais New Metal (e com muitas mudanças de formação) ficaram de fora ou foram representadas em apenas alguns trechos, aguçando e frustrando alguns que esperavam por elas completas e ao vivo.

Na pista o público não fez feio e representou no pogo, fazendo até os seguranças se mexerem para conter os mais empolgados. Um dos pontos altos do show foi com a música “All that’s left is blood”. Ela é uma das faixas do novo disco, um dos primeiros videoclipes lançados e chamou a atenção justamente pelo banho de sangue que a banda toma no vídeo. Assim como tem sido padrão na tour, “Severed” veio depois da intro com um trecho de “Sad but true” do Metallica. A performance encerrou com os integrantes destruindo o teclado e a guitarra, para delírio dos fãs.

A banda se despediu agradecendo a presença, pedindo desculpas pela correria na tour e pelo pouco tempo de show, mas, como todo bom gringo, promete voltar em breve. Esperamos. E se 2014 continuar com apresentações de qualidade e escalações como as desse ano, promete!

 

Recomendamos Para Você

Veja Também

Close
Close