Roadie News

De qual álbum do CANNIBAL CORPSE Paul Mazurkiewicz tem mais orgulho?

Recentemente o webzine finlandês ‘Rauta’ entrevistou o lendário baterista do CANNIBAL CORPSE, Paul Mazurkiewicz.

Perguntado sobre qual álbum do CANNIBAL CORPSE, mais lhe orgulha Paul respondeu: “É difícil, porque, obviamente, você fica orgulhoso de todos os seus álbuns. Quer dizer, o mais especial será seu primeiro álbum. Como Eaten Back To Life poderia não ser o nosso álbum mais especial? É o primeiro álbum – foi a primeira vez que entramos em um estúdio e estávamos pegando nosso álbum, nosso CD. ‘Uau, eu não posso acreditar que temos um álbum, um CD’. E eu acho que é um ótimo álbum, é um álbum cru, um álbum puro – tão puro e cru quanto o CANNIBAL CORPSE pode ser, eu diria. E você olha para trás e diz: ‘Uau, nós criamos essas músicas tão rápido, gravamos tão rápido. Tudo aconteceu tão… não diria realmente espontâneo, mas eu acho que foi tão rápido. Você ia lá e gravava em dez dias ao invés de estar lá por dois meses, ou o que quer que seja agora. Mas sim, apenas o fato de ser nosso primeiro álbum o tornará sempre o mais especial. É o melhor? Eu não sei se é o meu favorito em geral. Eu amo The Bleeding – outro que acertamos no alvo com as composições naquela época. Quando ouvimos as músicas do The Bleeding, ficamos ‘Uau, cara. Sim, essas músicas são realmente boas músicas. Criamos algumas ótimas músicas’. Então, eu estou feliz por isso, eu gosto muito do Kill, acho que ele é um tipo de álbum de transição para nós. Por alguma razão, a composição pareceu sair um passo além do que digamos, The Wretched Spawn ou Gore Obsessed. Kill tinha algumas coisas realmente boas, que você fica, ‘Uau, cara’. Um álbum muito poderoso, eu também gosto muito de Torture, é um bom álbum, como eu disse, eu vou sentar aqui e provavelmente nomear todos os 13 antes de Red Before Black, porque eles são todos muito especiais para nós. Mas, sim, eu diria talvez aqueles quatro, claro, em particular”.

O álbum mais recente do CANNIBAL CORPSE, Red Before Black foi lançado em novembro do ano passado pela Metal Blade Records. A sequência de A Skeletal Domain, de 2014, foi gravada na Mana Recording Studios em Saint Petersburg, Flórida, com o produtor/engenheiro de som Erik Rutan (SOILENT GREEN, BELPHEGOR, HATE ETERNAL), que trabalhou anteriormente com o CANNIBAL CORPSE em Kill (2006), Evisceration Plague (2009) e Torture, de 2012.

Edições avulsas, assinatura física e digital.

Conheça a nossa Roadie Crew Shop – acesse https://roadiecrew.com.br/roadie-shop

Recomendamos Para Você

Veja Também

Close
Close