Live Evil

FIREHOUSE

Manifesto Bar - São Paulo/SP, 27 de abril de 2013

Após uma aparição relâmpago em São Paulo no ano 1995, visita esta direcionada à divulgação do álbum “3”, com participações em programas de TV e na rádio Transamérica, chegara a vez dos paulistanos prestigiarem um dos grandes nomes do Hard Rock norte-americano, algo que os cariocas já tinham visto em 2007, no festival “Hard In Rio”. Mesmo com a avalanche de shows que o Brasil tem assistido, fator este que tem levado à bancarrota muitos fãs, o Manifesto Bar teve casa praticamente lotada. Realmente havia todos os ingredientes para mais uma noite mágica de Hard Rock na tradicional casa paulistana, porém alguns infortúnios prejudicaram a apresentação do Firehouse. Obviamente muitos discordarão mas, com pesar, afirmo que o Manifesto Bar já viu shows muito melhores e mais enérgicos.

Passados alguns minutos das 21h, “Hold Your Fire”, do álbum homônimo, deu início ao set. Sem conseguir ouvir a voz de C.J. Snare, torcia para que fosse algum problema inaugural mas, infelizmente, tal manteve-se durante todo o show. Talvez aqueles que estivessem bem perto do palco tenham tido melhor sorte. Não foi o meu caso.

“Shake And Tumble”, do álbum “Firehouse”, veio a seguir. Aliás, o set list foi praticamente todo calcado nos dois primeiros álbuns da banda, deixando de fora outros destaques dos trabalhos subsequentes. O público fez sua parte e, em “All She Wrote”, ficou mais difícil ainda ouvir a voz de C.J Snare, já que seu refrão era cantado em uníssono. Após tocarem “Sleeping With You”, chegara a vez da primeira balada da noite, “When I Look Into Your Eyes”. Definitivamente o Firehouse não é das bandas de Hard que mais agitam em cima do palco. O contraponto à presença apática do guitarrista Bill Leverty, o baterista Michael Foster foi o grande destaque da noite, tocando com grande desenvoltura e com aquela pegada tipicamente Hard com os “malabarismos” e triques de performance.

Na sequência vieram “Holding On”, em que os vocais foram assumidos pelo guitarrista Bill Leverty, “Rock On The Radio” e as baladas “Here For You” e “Love Of A Lifetime”. “Don’t Walk Away”, que havia ficado de fora do set list dos outros shows tocados em países vizinhos, foi a surpresa. Mesmo com os problemas técnicos referidos, o show atingiu seu ápice com a excelente e “Overnight Sensation”. Com um brevíssimo intervalo, a banda retornou com a balada “I Live My Life For You”, a marcante “Reach For The Sky” e o hit “Don’t Treat Me Bad”, que encerrou o curto show. Muitos gostaram, outros tantos se desapontaram, mas esperemos que haja outra chance para o desempate.

Após o show, os norte-americanos atenderam os fãs para fotos e autógrafos, enquanto a noite seguiu com o show da banda de AOR/Melodic Rock Paradise Inc., que realizou sua primeira apresentação. A formação trouxe, além dos integrantes que gravaram o ‘debut’ “Time” – Rick A. (baixo), Allan Juliano (bateria) e Marcos Peres (guitarra) – o experiente vocalista Gus Monsanto (Symbolica) e o guitarrista Diego Armelin como convidados. Além de faixas do álbum de estreia, o show contou com o cover de “Forever Young” (Tyketto). A noitada Hard ainda teve sequência com uma banda cover de Poison.

 

Recomendamos Para Você

Veja Também

Close
Close