Live Evil

JEFFERSON STARSHIP

Manifesto Bar - São Paulo (SP), 08 de agosto de 2013

Nesta quinta-feira (8), o Manifesto Bar recebeu a banda Jefferson Starship, criada no início dos anos 70 por ex-integrantes do lendário grupo norte-americano Jefferson Airplane.  Mesmo já sabendo que clássicos do Airplane poderiam fazer parte do set, somente pouco mais de 80 pessoas apareceram por lá, o que provavelmente não deixou a banda muito animada, mas a situação agradou os fãs mais fiéis, que ganharam uma apresentação bem intimista.

Após a abertura da banda Perdidos Na Augusta o show, programado para começar por volta das 22h, atrasou bastante. Os integrantes do Jefferson Starship só desceram as escadas para o palco pouco antes da meia-noite. Era visível uma certa dificuldade deles para enfrentar o trajeto do  camarim para o palco: a escada é bem íngreme e alguns deles já passaram dos 70 anos. Não foi fácil.

Paul Kantner (guitarra e vocal), David Freiberg (vocal, guitarra e teclado), Chad (guitarra), Donny Baldwin (bateria), Chris Smith (teclado) e Cathy Richardson (vocal) foram recebidos com aplausos do público que, em sua maioria, era composto por homens de mais de 50 anos vestidos com camisetas de bandas como Crosby, Stills & Nash.

“Olá, é uma prazer cantar aqui no Brasil pela primeira vez”, disse a vocalista Cathy Richardson, que completou: “vamos lá, vamos celebrar o Dia do Orgasmo!”. No Brasil e no mundo, a data é comemorada no dia 31 de julho, mas do alto de seus sapatos plataforma, dentro de uma calça bem justa e sutiã vermelho à mostra, a loira não precisava fazer muito para deixar os homens bem empolgados madrugada adentro. Ela se descabelou toda enquanto cantava os primeiros versos de “3/5 Of a Mile in 10 Seconds”, música do Jefferson Aiplane escolhida para abrir a noite.

“Crown of Creation”, que também intitula o quarto álbum de estúdio do Airplane, foi a segunda música executada.  Desta vez, Paul Kantner trocou sua guitarra Rickenbacker por outra da mesma marca. A lenda, que vestia um estiloso lenço na cabeça para esconder sua carequice, se mostra fã da marca ao longo do show. Cathy, no entanto, resolveu dar uma pirada no microfone e arrancou risadas dos presentes ao ficar hipnotizada pelo acessório.

Em “She Has Funny Cars”, do Airplane, Cathy assume as maracas. Em seguida, a quarta música do show, “Miracles”, do álbum Red Octopus de 1975 do Starship, é a primeira do próprio Starship que eles resolveram tocar (e não mais um cover do Airplane). Para muitos, isso não era lá grande coisa. A maioria queria mesmo escutar as músicas da antiga banda.  Para chacoalhar o público, Cathy solta um “Viva Brasil!” e Freiberg assume o violão. Mesmo aos 74 anos ele se esforça para balançar seus cabelos completamente brancos e pula várias vezes. Um show à parte.

Na sequência, a primeira música que empolgou para valer os presentes foi “Let’s Get Together”, outro sucesso da época do Airplane e que teve seu refrão cantado em coro pelas poucas pessoas que se apertavam em frente ao palco. Logo depois, “Find your way back”, outra do Starship, deixa espaço para os guitarristas brilharem, o que prova que a ausência de um baixista na banda não é problema nenhum.

Antes de começar “Count On Me”, música do próprio Starship, o co-fundador do Airplane, Paul Kantner, pede, em inglês, para que o público cante com ele. O momento marcou o meio do show que ainda prometia, pelo menos, a execução de mais oito músicas marcadas no setlist colado no chão do palco.

Os primeiros acordes de “Wooden Ships”, o oitavo som da lista, são marcados por um fã que grita “I love you” para Cathy. Em seguida, ela retruca metade em inglês, metade em espanhol e tenta agradar com um “I love you too, mi amor”. Com isso, a performance ganha um gás e a banda anima para tocar a música escrita por David Crosby, Paul Kantner e Stephen Stills (sucesso gravado pelo Aiplane e pela banda Crosby, Stills & Nash).

Para cantar “White Rabbit”, uma das primeiras composições da vocalista Grace Slick, do Airplane, Cathy puxou um pedaço de plástico que envolvia as garrafas de água do palco e colocou na cabeça. Em um momento só dela, resolveu usar o artifício para entreter os presentes e, quem sabe, mascarar por alguns minutos as cobranças dos fãs quando o assunto é o talento da vocalista original da primeira versão da banda.

Quase sufocando dentro do plástico, Cathy não se importou com o que acontecia em volta e cantou para emocionar. Depois, ela anunciou que é aniversário do guitarrista Chad, que substitui atualmente Mark “Slick” Aguilar.

O grupo ainda tocou “Have You Seen the Saucers” do Airplane e “Fast Buck Freddie”. Em “Jane”, Cathy assume um cowbell e Freiberg mostra que sua voz ainda é potente, mais uma vez, deixando os fãs de queixo caído. Já “The Ballad Of You And Me And Pooneil” deu direito a uma sequência de solos de teclado e bateria.  O guitarrista aniversariante ainda tocou “Embryonic Journey”, instrumental do Airplane.

“Somebody To Love”, do Airplane, a música mais comemorada por todos e, talvez, o momento mais legal e emocionante, foi a última antes do bis. “Volunteers”, outro sucesso do Airplane, encerrou a noite. Depois dos agradecimentos, o momento se tornou inesquecível para os fãs que aproveitaram a volta ao palco de Paul Kantner e David Freiberg. Atenciosos, os músicos mais cultuados da noite posaram para fotos e autografaram os discos de vinil que algumas pessoas levaram.

Set list:
3/5 of a mile in 10 seconds
Crown of Creation
She has funny cars
Miracles
Let’s Get Together
Find your way back
Count on me
Wooden Ships
White Rabbit
Have you seen the saucers
Fast buck Freddie
Jane
The Ballad Of You And Me And Pooneil
Somebody to love
Volunteers

 

Recomendamos Para Você

Veja Também

Close
Close