Live Evil

KIARA ROCKS

Inferno Club - São Paulo/SP, 30 de novembro de 2012

Nós, como comunicadores temos uma missão: informar, descrever e relatar os trabalhos dos grupos do segmento do rock, em qualquer segmento, que pode variar do Classic Rock ao Metal Extremo. Com as bandas não muda muito esse chamado, pois enquanto algumas são as que seguram os fãs no segmento, outras servem como uma “ponte” entre o underground e o mainstream. O quarteto Kiara Rocks pode é um desses conjuntos que podem fazer a transição entre os dois públicos, pois mesmo sua música seja calcada no Hard Rock, se utiliza de muitos artifícios do pop.

Para o lançamento de “Todos os Meus Passos”, a banda contou com a participação de ícones do estilo como Tracii Guns (LA Guns), Matt Sorum (Velvet Revolver, Guns N’Roses, The Cult) e Sebastian Bach (Skid Row). Para promover o trabalho, fez o lançamento no Inferno Club, que fica localizado na baixa Augusta, região que pode ser considerada uma espécie de Torre de Babel, pois deparamos com tribos e linguagens das mais variadas.

Com a abertura da casa depois da meia-noite, as (boas) impressões foram comprovadas: casa cheia, onde era impossível caminhar sem dificuldade, devido à grande quantidade de fãs (principalmente mulheres). Continuando a falar do público feminino, ele proporcionou momentos onde tínhamos a impressão de estar na Sunset Strip de Los Angeles, com beldades ora dançando nos pole dances, ou desfilando sua beleza pelos arredores da casa.

Depois de mais de duas horas da programação feita pelos DJs executando sons de grupos como Mr. Big, Pantera, Alice In Chains, entre outros, às 2h30 da manhã entrou em cena o Kiara Rocks. Cadu Pellegrini (voz e guitarra), Anselmo Fávaro (guitarra), Juninho (baixo) e Ivan Copelli (bateria) entraram no palco com o jogo ganho mandando sons como “Marcas e Cicatrizes”, “Mais Uma Noite” e “Com Ódio e Gasolina”, do já citado segundo trabalho. Vale lembrar que nesta apresentação, a banda recebeu o reforço do guitarrista Phil, que se mostrou muito entrosado com o Kiara Rocks, mandando bem nas bases, solos e backing vocals.

Depois de extasiar o público, que respondia os refrãos a plenos pulmões, Cadu (que parece um irmão malvado do cantor do Rosa de Saron, Guilherme de Sá), agradeceu ao público pelo comparecimento em massa e mandou uma das músicas mais inspiradas da banda: “Todos os Meus Passos”, que com três guitarras mostrou uma banda com pegada e muito tesão, o que foi transmitido de forma automática aos presentes. Musicalmente a banda é uma mistura de Guns N’Roses, Poison com traços do Gothic Rock e do Rock Nacional, onde além do gogó potente do vocalista, os solos “Slashianos” são um espetáculo a parte.

Além das músicas próprias, a banda executou versões primorosas para “What it Takes” (Aerosmith), “Careless Whisper” (Wham) e “Paradise City” (Guns N’ Roses), essa última, contou com vários convidados. Mas era nas canções próprias que a banda cativou o público, com “Falso Alarme”, “Não Vai Adiantar” e o encerramento com “Últimos Dias” que, apesar da curta apresentação, (cerca de 1h20), deixou todos satisfeitos.

Estive em muitas apresentações neste ano, e seguramente posso dizer que a do Kiara Rocks foi à única que estava realmente abarrotada de gente. Arrisco afirmar que se a apresentação fosse realizada em casas maiores como Espaço Lux e Via Marquês, seria lotação na certa. Um show que valeu cada instante, pois foi executado por músicos com sangue nos olhos e tocando cada música com muito tesão e entusiasmo. Nem preciso dizer que fui trabalhar no dia seguinte com um sorriso de orelha a orelha.

Recomendamos Para Você

Veja Também

Close
Close