Live Evil

MAYAN

Carioca Club, 26 de novembro de 2011

A noite de sábado 26 de novembro foi, no mínimo, surpreendente para os fãs do guitarrista, vocalista e compositor Mark Jansen (Epica, ex-After Forever). Apesar do cancelamento dos shows em Curitiba e Rio de Janeiro por falta de público, os fãs de São Paulo compareceram animados e ansiosos para a apresentação no Carioca Club. O assunto mais comentado da noite era a participação da ex-vocalista do After Forever e atual ReVamp, Floor Jansen, recentemente diagnosticada com Síndrome de Burn Out (esgotamento físico e psicológico devido ao trabalho excessivo). Meses antes, por conta da doença, ela cancelou a turnê que incluiria o Brasil, deixando os fãs preocupados com sua saúde e a volta aos palcos. O que muitos não esperavam, e que foi uma surpresa agradável, foi a confirmação da presença da cantora nos shows, deixando os brasileiros ainda mais ansiosos.

O evento previsto para começar às 20h teve início às 18h30 com a banda de abertura Melline, que tocou diante de um público reduzido. Já o MaYan, subiu ao palco às 19h15, o que causou certo desconforto para os que se programaram para o horário divulgado. Assim, muitos chegaram quando o set já havia começado. Segundo a organização, a mudança de horário foi um pedido da própria banda, que acrescentou músicas ao set list, como alguns clássicos do Iron Maiden e canções líricas.

O MaYan subiu ao palco mostrando toda empolgação e entusiasmo com a agressiva Symphony Of Aggression que seguiu o show contando com o coro do público, do convidado Henning Basse (vocal, Sons Of Seasons) e dos vocais femininos de Simone Simons, Floor Jansen e da cantora lírica Laura Macri. Laura, aliás, ganhou o carinho dos fãs e se tornou o destaque da noite em seus dois solos impecáveis de Essenza Di Te e o clássico de Puccini O Mio Babbino Caro.

Enquanto Laura chamava a atenção nos solos e participando de outras músicas do MaYan, Simone limitava-se aos coros e a poucas interações com o público. Já Floor Jansen e Henning Basse, bem animados, participaram, interagiram e deram aos fãs, junto com Mark Jansen e banda, o que todos estavam ali para ver.

Com um time de músicos pra lá de experientes, composto por Mark Jansen (vocal Epica), Isaac Delahaye (guitarra Epica, ex-God Dethroned), Frank Schiphorst (guitarra Symmetry), Rob van der Loo (baixo ex-Delain, ex-Sun Caged), Jack Driessen (teclado ex-After Forever) e Ariën van Weesenbeek (bateria Epica, ex-God Dethroned), o MaYan certamente conquistou fãs que até então seguiam a banda apenas por conta do trabalho de Mark com o Epica. Ele provou também que, além de ter um propósito diferente de sua antiga banda, pode juntar maior diversidade de fãs e garante que seu sucesso não depende apenas de trabalhos passados, mas também daquilo que desenvolve com o MaYan – e sempre enfatizando que o Epica continua na ativa.

As músicas da banda, com uma sonoridade bem mais pesada que a do After Forever e Epica, teriam um toque único e próprio se não fossem os vocais mais que conhecidos nos coros e as pequenas participações de Simone e Floor. Mark, que declarou ser apaixonado pela cultura Celta, criou no álbum Quarterpast versões e histórias diferentes do álbum Consign To Oblivion, lançado em 2005 com a vocalista Simone Simons e que em nada lembra o trabalho desse seu novo projeto.

O show seguiu com as canções de seu álbum e, entre uma música e outra, eis que Henning Basse assume os vocais para brindar o público com um ‘Iron Maidley’ (expressão usada pela própria banda), um mix de The Number Of The Beast, The Trooper, Fear Of The Dark Run To The Hills muito bem executadas para a felicidade dos bangers presentes. Basse recebeu os aplausos e gritos da platéia, e demonstrou sua satisfação com agradecimentos, elogios e vestindo uma camisa da seleção brasileira. Ele ainda disse estar emocionado por cantar para pessoas tão receptivas e animadas.

De volta ao palco, Mark retomou seu repertório com euforia e, entre agradecimentos e brincadeiras em português, cantou boa parte das músicas Bite The Bullet Drow The Demon fora do palco, junto com os fãs, dando a impressão de que queria cantar para cada pessoa ali presente, o que deu trabalho em dobro aos seguranças.

O show durou cerca de duas horas e no bis vieram Sinner’s Last Retreat, música do MaYan e a participação de todos os vocais presentes nos coros, e Cry For The Moon, na voz da Simone Simons e com Coen Janssen nos teclados – era quase o Epica no palco fazendo uma boa apresentação, mas sem muito entusiasmo por parte da Simone. Encerrando o show, a famosa e talvez a mais cantada da noite, Follow In The Cry (After Forever) com Floor Jansen nos vocais levando o público à loucura com sua marcante presença de palco e excelente performance na companhia e presença de todos os integrantes do MaYan.

Minutos depois do fim do show, Mark, Henning e Floor voltaram para uma sessão de autógrafos e fotos com os fãs que, mesmo após as luzes se acenderem anunciando o final da apresentação, não saíram da pista aguardando seus ídolos aparecerem.

No domingo foi realizado um set acústico do Epica no Manifesto Bar, evento destinado apenas para o público pagante, sem convidados ou imprensa, e ainda teve um meet & greet com a banda para apenas quarenta pessoas, com ingressos sorteados na noite.

Formação – show do Brasil:
Mark Jansen (vocal, Epica)
Isaac Delahaye (guitarra, Epica, ex-God Dethroned)
Frank Schiphorst (guitarra, Symmetry)
Rob van der Loo (baixo, ex-Delain, ex-Sun Caged)
Jack Driessen (teclado, ex-After Forever)
Ariën van Weesenbeek (bateria, Epica, ex-God Dethroned)

Coro e participações:
Floor Jansen (vocal, ReVamp, ex-After Forever)
Simone Simons (vocal, Epica)
Henning Basse (vocal, Sons Of Seasons)
Laura Macri (Soprano lírico – Istituto V.Bellini di Caltanissetta)

Set list:
Symphony Of Aggression
Mainstay Of Society
The Savage Massacre
Quartepast
Curse Of Life
Essenza Di Te
Incentive
Celibate Aphrodite
‘Iron Maidley’ (medley Iron Maiden)
Bite The Bullet
Drow The Demon
O Mio Babbino Caro
War on Terror
Sinner’s Last Retreat
Cry For The Moon
Follow In The Cry

 

Recomendamos Para Você

Veja Também

Close
Close