Edição #67

R$ 14,90

Depois do lançamento do bem sucedido álbum ao vivo Live In Midgård (2002) os suecos do Therion entram novamente em estúdio para a gravação de um novo trabalho. O detalhe é que desta vez tinham mais de cinqüenta músicas compostas, o que acabou resultando em…

Em estoque

Descrição

CANS

Por Ricardo Batalha O vocalista sueco Joacim Cans, nascido em Mora/Göteborg, começou sua carreira cantando nas bandas Highlander e Mrs. Hippie, mas ficou mundialmente famoso com o sucesso do Hammerfall. Entretanto, um de seus objetivos no cenário musical era ter a oportunidade de gravar um álbum solo, fato que finalmente colocou em prática este ano, com a gravação de Beyond The Gates. Nesta sua estréia como artista solo, Cans trabalhou ao lado de músicos de renome, como Mat Sinner (Primal Fear – baixo), Mark Zonder (Fates Warning – bateria), Stefan Elmgren (Hammerfall – guitarra), Metal Mike Chlasciak (Halford – guitarra), Jeff Waters (Annihilator – guitarra), David T. Chastain (CJSS, Chastain – guitarra), Ronny Milianowicz (Dionysus, ex-Sinergy – bateria) e Corbin King (Chastain – guitarra). Com um time deste porte era fácil prever os bons frutos para Beyond The Gates, um álbum diferente de seu trabalho com o Hammerfall e que entrou diretamente na vigésima posição dos charts na Suécia e já rendeu o videoclipe para a faixa Red Light. Se com o Hammerfall, Joacim Cans obteve reconhecimento mundial, recebeu dois discos de ouro e foi nomeado para três prêmios “Grammy”, seu caminho solo não deverá ser diferente.

CHILDREN OF BODOM

Por Ricardo Campos O Children Of Bodom, verdadeiro fenômeno finlandês, teve início em 1993 e se estabilizou com Alexi Laiho (vocal e guitarra), Alexander Kuoppala (guitarra), Janne Warman (teclado), Henkka T. Blacksmith (baixo) e Jaska Raatikainen (bateria), músicos que fizeram o nome da banda pegar em todo o mundo graças ao bom desempenho obtido com os álbuns Something Wild (1997), Hatebreeder (1999), Tokyo Warhearts Live (1999), Follow The Reaper (2000) e Hate Crew Deathroll (2003). Obtendo um grande sucesso com o mais recente lançamento, a banda foi pega de surpresa com a saída pra lá de inesperada de Alexander Kuoppala, que foi rapidamente substituído por Roope Latvala (Sinergy), e tudo indica que este será em breve um membro definitivo. Nesta entrevista, Alexi nos conta mais sobre a saída de Alexander, seus sentimentos em relação a isto, adianta detalhes sobre o novo Trashed, Lost And Strungout, que será lançado este ano, e ainda fala sobre as expectativas para os novos shows no Brasil.

CREMATORY

Por André Dellamanha Quando o Crematory iniciou suas atividades, em 1991, surpreendeu a todos na Alemanha ao fazer um Death Metal cheio de teclados em uma época que isto não era tão comum quanto se tornou no decorrer dos anos 90. Com o lançamento de Transmigrating, em 1993, o Crematory começou a formar uma grande base de fãs pela Europa e, aproveitando uma maior popularidade do estilo, teve a colaboração da Nuclear Blast para crescer ainda mais, quando assinaram o contrato com a gravadora em 1997, e lançaram álbuns de peso, como Awake, Fly, Act Seven, Believe e Remind, até decidirem encerrar as atividades, em 2001, quando acharam que a banda não era mais tão popular quanto já havia sido. Em 2003, mais uma surpresa, com o retorno após uma negociação incomum, descrita nesta entrevista pelo baterista Markus. Mantendo a tradição, lançam seu primeiro trabalho pós-retorno, o ótimo Revolution, para colocar mais pontos de interrogação na cara dos fãs. Divirta-se!

DRAGONFORCE

Por Ricardo Campos O DragonForce foi formado na cidade de Londres (ING) em setembro de 1999 sob o nome DragonHeart, mudado para o atual dois anos depois. Apesar da referência londrina, o line-up, atualmente formado por ZP Threat (vocal), Herman Li e Sam Totman (guitarras), Vadim Pruzhanov (teclado), Adrian Lambert (baixo) e Dave Mackintosh (bateria), é multicultural e os membros são oriundos de diferentes lugares do mundo, como Hong Kong, Nova Zelândia, África do Sul, Ucrânia e Inglaterra. Esta verdadeira fusão de culturas gera uma sonoridade muito interessante, que eleva o Power Metal a patamares ainda mais técnicos e de grande variedade musical. Em 2003 foi lançado o álbum Valley Of The Damned, que foi muito bem recebido mundialmente e, agora, a carreira do DragonForce tem seqüência com Sonic Firestorm, que promete vôos ainda mais altos. Saiba o que o guitarrista Herman Li tem a contar!

DREAM EVIL

Por Ricardo Batalha A banda sueca Dream Evil chega ao ponto alto de sua carreira com o lançamento de seu terceiro álbum, The Book Of Heavy Metal (Century Media). Desta vez não só o líder, guitarrista e renomado produtor Fredrik Nordström participou do processo de composição, já que o baterista Snowy Shaw (King Diamond, Mercyful Fate, Memento Mori e Notre Dame) compôs várias faixas, que acabaram funcionando de forma perfeita com a adição do talento do guitarrista grego Gus G. (Mystic Prophecy, Firewind e Nightrage) e do vocalista Niklas Isfeldt, além da segura performance do baixista Peter Stålfors. O primeiro álbum, DragonSlayer, colocou o Dream Evil como revelação de 2002, enquanto que Evilized (2003) foi a seqüência lógica, mas certamente The Book Of Heavy Metal irá colocar a banda em um nível mais alto.

EPICA

Por Ricardo Batalha Após sair do After Forever, o guitarrista e compositor holandês Mark Jansen formou o Sahara Dust, na tentativa de criar o som que pretendia fazer e que fora o motivo da saída de sua ex-banda. O line-up inicial contava com a vocalista norueguesa Helena Michaelsen (Trail Of Tears), que tempos depois cedeu seu posto para Simone Simons, além de Coen Jansen (teclado), Ad Sluijter (guitarra), Jeroen Simons (bateria) e Yves Huts (baixo, do Axamenta). No início de 2003, decidem mudar o nome para Epica, em homenagem ao álbum de mesmo nome lançado pelo Kamelot. O álbum de estréia, The Phantom Agony (Hellion Records), gravado no Gate Studio, em Wolfsburg (ALE), e produzido por Sascha Paeth (Aina, Rhapsody, Kamelot, Shaman, Heavens Gate, Virgo e outros), obteve ótima aceitação. A banda já está prestes a gravar o sucessor. Na entrevista a seguir, Mark Jansen conta os detalhes e promete tentar vir ao Brasil ano que vem para fazer shows com o Epica.

FOLKLORD

Por Claudio Vicentin O Folklord sempre manteve a linha de fazer um Heavy Metal com influências diversas e letras pagãs e sobre guerras medievais, ou seja, dificilmente alguém consegue rotular com 100% de precisão o estilo tocado por essa banda que nasceu na cidade de Jundiaí (SP), em 1995. Após algumas Demos e a troca de vocalista, o Folklord foi contratado pela gravadora Somber Music e recentemente lançou seu primeiro álbum, Resistance. Conversamos com o baixista, vocalista e flautista F. Acácio que nos contou detalhes de toda essa caminhada da banda até o momento.

GRIP INC.

Por André Dellamanha Em quase dez anos de carreira, o Grip Inc. está lançando seu quarto álbum de estúdio, Incorporated. Uma média de um álbum a cada dois anos é muito boa para a época em que vivemos, mas se pensarmos que, desde 1999, quando lançou Solidify, a banda não fazia nada de novo, pode-se confundir a cabeça dos fãs, pois uns acham que o Grip Inc. é apenas um projeto. Independentemente de tudo isso, Incorporated mostra que todos os envolvidos realizam sua tarefa com um amor pouco visto nos dias de hoje, pois mesmo estando ocupados com outros trabalhos que podem até ser considerados mais “importantes” do que um novo álbum do Grip Inc., os músicos perceberam que esta era novamente a hora de se juntarem para dar aos fãs o que eles esperavam há tantos anos. Com o vocalista Gus Chambers, o guitarrista Waldemar Sorychta e o baterista Dave Lombardo, que dispensa apresentações, a banda volta com tudo! O line-up prova estar firme e mostra para o mundo que não é apenas com um software de Pro-Tools que se deve fazer um álbum.

MARTIN WALKYIER

Por Thiago Sarkis Colaborou Rodrigo Simas Dezesseis anos se passaram desde o estréia do Sabbat com History Of A Time To Come (1988). O título dizia tudo e a história que se seguiu tornou-o praticamente uma premonição autobiográfica de Martin Walkyier. Ao seu lado, Andy Sneap – atualmente renomado produtor – nas guitarras. Apenas dois álbuns lançados, somando-se ao ‘debut’ o clássico Dreamweaver (1989), e a dupla fez do Sabbat o mais reconhecido conjunto de Thrash Metal oriundo do Reino Unido. Apesar do sucesso, Martin Walkyier resolveu abandonar seus companheiros em 1990, dando vida ao Skyclad, inicialmente apenas um projeto incomum, com letras fortes e musicalidade refinada, sendo atualmente o maior ícone do Folk Metal. Após uma década gloriosa, o ex-vocalista do Sabbat resolve sair do Skyclad, decepcionando os fãs e deixando dúvidas sobre o futuro da banda. Reação característica de entusiastas frente ao afastamento de um músico legendário. Desde então, as luzes se apagaram tanto para ele, quanto para seus antigos companheiros. Para completar, a revivescência de seu primeiro conjunto, usando o nome Return To The Sabbat, não teve recepção tão aclamada pela mídia. Em entrevista exclusiva, Martin mostrou-se muito animado e pronto para escrever uma nova “história de um tempo porvir”. Aproveitamos também para clarear algumas controvérsias de sua carreira, incluindo o até então obscuro rompimento com o Skyclad.

SIRENIA

Por Ricardo Campos A separação entre o vocalista e guitarrista norueguês Morten Veland e o Tristania preocupou muito os fãs ao redor do mundo, pois ficou no ar uma incerteza de como seria o futuro de ambas as partes. Para a alegria geral, a banda continuou e Morten voltou à ativa, em 2001, com o Sirenia, lançando o bem sucedido álbum de estréia At Sixes And Sevens (2002). Agora, dois anos depois, Morten dá continuidade à carreira do Sirenia com An Elixir For Existence, trabalho que mostra uma banda ainda mais forte, apostando em uma sonoridade mais pesada e inovadora, porém mantendo os elementos básicos de composição que os fãs tanto apreciam. Nesta entrevista, Morten nos conta um pouco mais sobre a carreira da banda e detalhes sobre este novo álbum, que foi lançado no Brasil pela Hellion Records.

THALION

Por Alexandre Oliveira Formado em meados de 2001 pelo guitarrista Rodrigo Vinhas, o jovem Thalion vem crescendo a cada dia na cena nacional, com um ótimo CD de estréia e apresentações em grandes eventos. Com participações especiais e produção de renomados músicos e profissionais em seu primeiro CD, a banda já surgiu em posição de destaque, e vem colhendo os primeiros frutos do belo trabalho Another Sun, lançado em maio pela Hellion Records.

THERION

Por Ricardo Campos Depois do lançamento do bem sucedido álbum ao vivo Live In Midgård (2002) os suecos do Therion entram novamente em estúdio para a gravação de um novo trabalho. O detalhe é que desta vez tinham mais de cinqüenta músicas compostas, o que acabou resultando em mais de onze meses de trabalho duro e o lançamento de dois álbuns simultâneos, Lemuria e Sirius B. Este marco em dose dupla na carreira da banda pode ser ainda mais celebrado pelos fãs brasileiros, pois no final do mês de agosto a banda volta ao Brasil com uma visita que promete uma infra-estrutura superior à de 2001. O guitarrista Christofer Johnsson nos conta mais sobre este grande momento na carreira do Therion, que recentemente ainda anunciou a integração do baterista Petter Karlsson ao line-up completado por Kristian Niemann (guitarra) e Johan Niemann (baixo). Confira!

VINTERSORG

Por André Dellamanha Há dez anos, quando o Vintersorg apareceu com o nome de Vargatron, a principal característica da banda já era levar o Black Metal a um outro nível, adicionando vários elementos diferentes ao estilo. Após gravar uma Demo, que chegou à Napalm Records e foi lançada como um Mini-CD em 1998, a banda gravou seu primeiro álbum completo, Till Fjälls, seguido por Ödemarkens Son (1999) e Cosmic Genesis (2000). Cada vez mais seguindo as linhas progressivas, a banda lançou Visions From The Spiral Generator (2002), que contava com a presença do renomado baixista Steve Di Giorgio (Autopsy, Control Denied, Death, Dragonlord, Iced Earth, Sadus e Testament) pela primeira vez. Seguindo a mesma linha e ousando cada vez mais, Andreas Hedlund “Vintersorg” (vocal – também Borknagar, Otyg, Havayoth, Fission e Axiology), Mattias Marklund (guitarra), Steve DiGiorgio (baixo) e Asgeir Mickelson (bateria – Borknagar, Lunaris e Spiral Architect) estão de volta com The Focusing Blur.

Background - IRON MAIDEN - PART V

BACKGROUND – IRON MAIDEN – PART V Por andre Dellamanha Em janeiro de 1994, o processo de composição para um novo álbum começou do zero, pois a banda havia decidido que iria esperar até que o novo vocalista chegasse para começarem a compor. Quando todos se reuniram para dar início ao trabalho, na casa de Steve Harris na região de Essex, na Inglaterra, que já contava com um completíssimo estúdio analógico, batizado Barnyard Studios, a primeira pergunta que Blaze Bayley fez a todos foi sobre qual o direcionamento musical a banda queria seguir no novo álbum. Steve explicou-lhe, então, que ninguém seguiria direção específica alguma, e que todos deveriam compor aquilo que quisessem e usariam o material que ficasse bom, independente de como ele soasse. “Aquilo para mim foi incrível, pois eu estava em uma banda na qual poderia fazer simplesmente o que quisesse”, comenta Blaze. “Isto não aconteceu porque o Maiden estava em uma situação em que podia fazer aquilo, e sim porque nós sempre trabalhamos desta maneira”, afirma Steve.

BACKSPAGE

por Vitao Bonesso Até mesmo alguns mais distraídos, porém fissurados pelo Rock and Roll, estranharam o enorme alvoroço ocorrido no último dia 7 de julho, quando diversos meios de comunicação comemoraram os cinqüenta anos do Rock. Segundo conta a história, em 1954 o ‘disk jockey’ J. Dewey Phillips, da rádio WHBQ, de Memphis (EUA), executava pela primeira vez numa emissora de rádio a musica That’s Alright Mama do jovem Elvis Aaron Presley, também da cidade de Memphis. Era também a primeira vez que Elvis era entrevistado e depois disso muita coisa viria a acontecer.

BLIND EAR - RANDY BLACK (PRIMAL FEAR)

“Nossa, esse vocalista me é bem familiar e a voz dele é muito boa! O que pode ser isso (risos)…”

GARAGE DEMOS

Envie material completo (CD-Demo ou Fita-K7, release e foto legendada e com crédito do fotógrafo) para: ROADIE CREW “GARAGE DEMOS” – CAIXA POSTAL 43015, CEP: 04165-970 SÃO PAULO/SP. Nesta Edição: Ungodly, Overlord, Rass Dashen, Crimson Dawn Project, Embalmed Alive, Dark Witch, Stab, Richlord, Mr.Ego, Hippie Hunter, Seasons, Reator.

LIVE EVIL - NOCTURNAL HORDES DEVASTATION / ROTA DO

1º NOCTURNAL HORDES DEVASTATION Juiz de Fora – MG 19 de junho de 2004 Texto e fotos: Yuri d’Ávila Extremo e destruidor! Assim pode ser definida a primeira edição do festival “Nocturnal Hordes Devastation”, que aconteceu no dia 19 de junho na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. Pela primeira vez na história do Metal Extremo nacional, seis bandas paulistas excursionaram juntas para outro estado. Organizado pela Nocturnal Age Records juntamente com os webzines Metal Hordes e Metal Devastation, o evento contou com bandas de Thrash, Death e Black Metal, tanto de São Paulo como de Juiz de Fora… ROTA DO ROCK Kasebre Rock Bar, São Paulo/SP 20 de junho de 2004 Por Luciano Krieger / Fotos: Ricardo Zupa Apesar de estar localizado em um dos pontos extremos da Zona Leste de São Paulo, o Kasebre Rock Bar recebeu um grande público de cerca de três mil pessoas, segundo a própria organização. O lugar é simples, porém bem amplo e oferece uma boa estrutura para shows. O evento começou com atraso, mas após o anúncio da abertura…

LIVE EVIL - TRIUMPH OF METAL

Pouso Alegre/MG 12 de junho de 2004 Texto e fotos Ivanei Salgado Há quem diga que o interior não possui estrutura para realização de eventos de médio e grande porte direcionados ao Metal. Tirando os “caça-níqueis” que não oferecem nada às bandas e só enchem o bolso de alguns, a região do sul de Minas Gerais tem sediado vários festivais com repercussão regional e até nacional, que surpreendem pela organização. O terceiro “Triumph of Metal”, realizado em Pouso Alegre, reforça essa idéia e prova que é possível organizar bons shows fora das capitais e este contou com um público acima da média de cerca de setecentas pessoas.

LIVE EVIL - SPECIAL - BRASIL METAL UNION

Por Lucas Rocha/Fotos: Ricardo Zupa A quarta edição do festival mais importante do Brasil para as bandas nacionais foi realizada nos dias 9 e 10 de julho, no DirecTV Music Hall, em São Paulo (SP). O “Brasil Metal Union”, criado pela equipe da Heavy Melody (www.heavymelody.com) e agora apoiado pela produtora Top Link Music, em 2004 consolida um sonho: ajudar a construir uma forte cena de Metal no Brasil. Hoje, o evento já é tradição e faz sempre parte do calendário de shows metálicos durante o ano, o que é uma conquista muito grande para as bandas e para os fãs das mais variadas vertentes de música pesada em todo país. Mais uma vez, o cast foi decidido por votação on-line e, além disso, um site oficial foi criado. A evolução do festival é tanta que o ingresso antecipado trazia como brinde um CD com as bandas participantes. “Queríamos, neste evento, valorizar muito a marca ‘BMU’, tanto que todas as bandas selecionadas cederam uma música para fazer parte de um CD entregue a quem comprasse o ingresso antecipado para o festival. Além disso, um pano de fundo gigantesco foi colocado no palco com nossa marca e foram confeccionadas camisetas oficiais do evento”, afirmou o organizador, Richard Navarro.

LIVE EVIL - SPECIAL - ROCK IN RIO LISBOA

Por André Dellamanha METAL: SEMPRE O MAIS PROCURADO Creio que todo fã de música em geral se lembra quando, cerca de um ano atrás, começou toda aquela boataria de que a capital portuguesa seria sede de uma edição do “Rock In Rio”, festival 100% brasileiro, organizado por Roberto Medina, e que teve três edições, obviamente no Rio de Janeiro, em 1985, 1991 e 2001. Devo confessar que, no início, também achei que tudo não passava de rumores de internet ou algo assim, mas as coisas começaram a tomar forma até que realmente começou a publicidade massiva e saíram as datas, local e artistas que se apresentariam.

LIVE EVIL - SPECIAL - SWEDEN ROCK FEST

Por André Dellamanha e Carlo Antico Fotos: Christoph Müller Mais um verão europeu começou com os antológicos festivais de Heavy Metal, que se firmaram como o maior encontro de bandas, mídia e pessoas relacionadas à indústria do estilo. Não é novidade que, a cada ano, um número elevado de novos festivais vêm se espalhando por todo o ‘Velho Continente’. Em sua décima segunda edição, o “Sweden Rock Festival” foi realizado entre os dias 10 e 12 de junho, na pequena cidade de Solvesborg, na Suécia, localizada a cerca de 160 quilômetros da terceira maior cidade do país, Malmö. Além de tudo que o festival tem a oferecer, a Suécia também é um país que todos os turistas que vão para a Europa deveriam conhecer, pois a organização, limpeza, arquitetura e as mulheres maravilhosas são algo que a diferenciam muito do centro europeu. Vale também avisar que os preços de tudo também são bem diferentes dos outros países próximos, e uma cerveja dentro do festival foi vendida a mais de cinco Euros (40 Coroas Suecas, o equivalente a 22 Reais)…

POSTER - EXODUS

Edição # 67

RELEASES CDS

Seis páginas de resenhas ilustradas com os principais lançamentos do mês.

RELEASES DVDS

Resenha dos principais DVDs lançados no mês.

ROADIE MAIL - METAL JOKE - CARTOON METALWORK

Por André Dellamanha e o cartoon de João Carlos Moreno

ROADIE NEWS

Resumo das principais notícias do mês.

ROADIE PROFILE - DANIEL GILDENLOW (PAIN OF SALVATI

Roadie Profile com Daniel Gildenlow (Pain Of Salvation) e Heavy Metal Joke (por Marcio Baraldi)

Informação adicional

Peso0.250 kg
Dimensões28 x 21 x 1 cm
Close