Live Evil

SHADOWSIDE / SUPREMA

Via Marquês - São Paulo/SP, 26 de maio de 2013

Após viajar por toda a Europa ao lado dos alemães do Helloween e Gamma Ray, a banda brasileira Shadowside voltou ao Brasil para promover o álbum “Inner Monster Out”, que foi muito bem aceito no mundo todo. Para comemorar o fim da turnê europeia, os músicos se apresentaram na Via Marquês (zona oeste de São Paulo), neste último domingo (26/5), ao lado do grupo SupreMa, que, na ocasião, fez o lançamento oficial do seu mais recente trabalho, “Traumatic Scenes”.

Com público pequeno de cerca de 300 pessoas, o SupreMa iniciou sua apresentação com muita energia e garra, mas os poucos fãs presentes estavam apenas observando os músicos e o belo palco da banda que tinha além de um bonito pano de fundo um relógio gigante que girava no sentido contrário. Atualmente formado por Douglas Jen (guitarras), Pedro Nascimento (vocal), Fernando Castanha (bateria) e Fabio Carito (baixo), que entrou no lugar de Gabriel Conti e também é o baixista do Shadowside, o SupreMa fez um show completo e teve bastante atitude, além de tocar com várias músicas do disco novo. “Gabriel é nosso irmão, sempre esteve ao lado do SupreMa, vestiu a camisa da banda por longos anos, contribuiu muito, porém os caminhos e interesses de ambos os lados infelizmente ficaram de lados opostos e respeitamos demais a posição do Gabriel em deixar a banda para seguir outros rumos profissionais”, disse o líder da banda Douglas Jen em nota divulgada antes da apresentação.

Após a ‘intro’ de “Marks Of Time”, o SupreMa tocou “Dark Journey”, “Escape” e a melhor do show, na minha opinião, “Rising From The Ashes”. A banda estava entrosada e o som que saía das caixas de som era potente. Um dos pontos altos foi quando o grupo fez duas excelentes versões para “Overture 1928” e “Strange Deja Vu”, ambas dos norte-americanos do Dream Theater. Por ser o primeiro show de Fabio Carito na banda algumas partes e trocas de posição no palco ficaram um pouco estranhas, mas nada como as próximas apresentações para os músicos arrumarem tudo isso.

Após uma breve introdução, os músicos Dani Nolden (vocal), Raphael Mattos (guitarra), Fabio Carito (baixo) e Fabio Buitvidas (bateria) foram entrando no palco um a um até que “I’m Your Mind”, faixa do último trabalho da banda deu a deixa de que o show seria profissional e com qualidade acima da média. Com a bagagem internacional, os paulistas souberam tirar uma timbragem excelente de seus instrumentos, sobretudo quando o peso das guitarras de Raphael Mattos estava em evidência.

Shadowside aproveitou que o show seria só deles e fez a alegria dos fãs com faixas pouco executadas, além das melhores do novo álbum. Exemplo disso ficaram por conta das faixas “In The Night”, “My Disrupted Reality”, “Habitchual” e “In The Name of Love”. Quando Dani Nolden anunciou a música “Inner Monster Out” a curiosidade maior era saber como ficariam os vocais guturais, mas o guitarrista Raphael Mattos cantou muito bem e deu luz à composição.

Outra parte interessante do show ficou por conta do medley de “Vampire Hunter / Illusions / We Want a Miracle”, que fez o público presente cantar a plenos pulmões as partes principais das músicas, aliás, este popurri fechou a primeira parte da apresentação. Na volta do bis, o grupo tocou “Angel With Horns” e “Waste of Life” provando a força e carisma do último álbum. Com as baterias renovadas, a banda SupreMa voltou ao palco e fez uma Jam com a Shadowside em duas versões bem interessantes para  “Aces High” (Iron Maiden) e “Ace of Spades” (Motörhead), que fizeram os fãs pularem o tempo todo.

A iniciativa do Wikimetal em fazer um show com duas bandas nacionais em uma casa grande é extremamente válida, pena que o público não compareceu em peso como se deveria. É fácil enumerar inúmeros motivos porque isso não aconteceu, por exemplo, o excesso de shows internacionais e o alto preço dos ingressos (não no caso do Shadowside e Suprema). Fica aqui o meu incentivo para que Nando Machado, Daniel Dystyler e Rafael Masini continuem dando oportunidade para que os músicos brasileiros se apresentem com som descente, casa, iluminação e tudo o mais que merecem. Que estes eventos não parem e o público compareça, pois o Metal praticado no Brasil é excelente e merece toda atenção.

Suprema – Set List:
Marks Of Time
Dark Journey
Escape
Rising From The Ashes
Iced Heart
Burning My Soul
Overture 1928 (Dream Theater)
Strange Deja Vu (Dream Theater)
Before The End
Powermind
Fury And Range
Nightmare

Shadowside – Set List:
Intro
I´m Your Mind
A.D.D.
Highlight
In The Night
My Disrupted Reality
Hideaway
Gag Order
Inner Monster Out
Habitchual
Baby In The Dark
In the Name of Love
Vampire Hunter / Illusions / We Want a Miracle
Angel With Horns
Waste of Life
Jam
Aces High (Iron Maiden)
Ace of Spades (Motörhead)

 

Recomendamos Para Você

Close