Live Evil

SYSTEM OF A DOWN / DEFTONES

25 de setembro de 2015, Arena Anhembi - São Paulo/SP

Há quem afirme que sem tem um disco novo uma banda faz um show morno, sem novidades e baseado em nostalgia. Bem, não foi bem isso que o público do “Rock in Rio” e de São Paulo pôde dizer a respeito da dobradinha Deftones e System of a Down. Ambas, em palcos diferentes no festival carioca, e juntas na Arena Anhembi, fizeram apresentações dignas de sua importância e que o público merecia ver. Surpreendido pelo show explosivo dos armênios, Roberto Medina se redimiu em colocá-los como headliner no Palco Mundo. O set fez os fãs mais antigos pirarem com o desfile de hits e na capital paulista não foi diferente. A surpresa, porém, rolou muito antes de a Arena abrir. A fila já formada no local e o público que se deslocava para o evento foi vítima de uma chuva torrencial, que há dias não acontecia na cidade e escolheu justo aquela sexta para despencar.

A plateia presente em grande número encolheu na frente do palco, mas não diminui o ânimo do Deftones. A banda, que não lança nada novo desde o elogiado “Koi No Yokan” (2012), tocou faixas de todas as fases da carreira. Menos conhecidos, infelizmente, apesar da empolgação no palco, o público não respondeu bem aos sons mais agitados intercalados com outros mais melódicos. Porém, músicas como “Be quiet and Drive (Far Away)”, “My Own Summer (Shove it)” levantaram a galera, bem como “Engine No. 9” e “Headup”, que fecharam o set. Seria melhor se a maioria dos fãs fosse voltada a seu favor e se a chuva não tivesse desanimado um pouco mais a ficar a postos na frente do palco.

Mas não teve qualquer clima desfavorável que fizesse os fãs do System Of A Down arredarem pé da pista. A chuva deu uma trégua e foi a deixa para a banda, ovacionada, entrar no palco e descer o braço em mais de 20 músicas no set, em sua maioria, hits que o público cantou em uníssono. Para fazer valer a espera, depois de quatro anos desde sua última passagem pelo país, o quarteto economizou nas palavras e priorizou tocar o máximo de sons possível.

A energia no palco é absurda e não tem como o plateia não se contagiar. Sons de todos os discos foram executados e acompanhados pelos fãs a plenos pulmões. Para quem acompanhou o Rock in Rio pela TV pode ter uma prévia e ver em SP que o set não se alterou. Abriram com a explosiva “I-E-A-I-A-I-O” e seguiram detonando com “Attack”, “Prison Song” até chegar o master hit “Aerials”, um dos momentos épicos do show.

Outras das mais conhecidas, como “B.Y.O.B”, “Chop Suey”, “Cigaro”, “Forest” e até a mais lentinha “Lonely Day”, causaram uma horda de circle pits, histeria e os presentes cantando e agitando com a banda. Isso tudo somente com som, instrumentos e talento, sem pirotecnia, cenário ou qualquer recurso extra além dos famosos telões e um pano de fundo. A banda, agradecida, mostrava na cara de felicidade essa troca intensa de energia com a plateia.

Se choveu, esfriou ou se faz quase uma década que o System não lança nada inédito? Apesar de fazer diferença em saber se continuaram relevantes a partir de então, nesse show ninguém notou e não fez, sinceramente, a menor diferença. Tão bom ou melhor do que em 2011 quando também arrastaram uma multidão e mostraram seu poder em cima do palco. E, apesar da extensa lista de shows já acontecidos e muitos que ainda virão em 2015, esse certamente estará na lista dos melhores de muitos fãs.

SET LIST – DEFTONES:

Diamond Eyes
Rocket Skates
Be quiet and Drive (Far Away)
My Own Summer (Shove It)
Sextape
Knife Party
Tempest
Swerve City
Passenger
Change (In the House of Files)
Engine No.9
Headup

SET LIST – SYSTEM OF A DOWN:
I-E-A-I-A-I-O
Suite-Pee
(Incomplete)
Attack
Prison Song
Know
Aerials
Soldier Side – Intro
B.Y.O.B.
Soil
Darts
Radio/Video
Hypnotize
Temper
CUBErt
ATWA
Needles
Deer Dance
Bounce
Suggestions
Psycho (com “Physical” by Olivia Newton-John intro)
Chop Suey!
Lonely Day
Question!
Lost in Hollywood
Vicinity of Obscenity
Forest
Cigaro
Toxicity
Sugar

 

Recomendamos Para Você

Veja Também

Close
Close