EntrevistasRoadie News

VINNY APPICE: Uma jornada de volta ao clássico

Vinny Appice, lendário baterista americano, é uma autoridade quando se fala em heavy metal. Além de DVDs focados na bateria, workshops ao redor do mundo e uma pegada única para o estilo, também contribuiu com o mundo metálico adicionando seu ritmo e viradas instigantes em algumas das maiores obras da história da música pesada. É dele a bateria em discos como Mob Rules (Black Sabbath, 1981), Live Evil (Black Sabbath, 1982, ao vivo), Holy Diver (Dio, 1983), The Last In Line (Dio, 1984) e Dehumanizer (Black Sabbath, 1992), apenas para citar alguns relevantes. Recentemente, ele também gravou quatro músicas para o EP Lama, da banda mineira Concreto, e nesta semana, o baterista do Dio e do Black Sabbath estará de volta ao Brasil para shows muito especiais, ao lado de times de peso. Quer mais informações? Confira abaixo a conversa que a ROADIE CREW teve com o baterista antes de sua chegada no nosso país, e prepare-se para perder a voz em shows repletos de clássicos!

Recentemente você gravou a bateria para o EP mais recente da banda mineira Concreto. O que pode nos contar sobre essa experiência?

Vinny Appice: Eu já os conhecia há algum tempo e, na verdade, já toquei com eles na minha última passagem pela América do Sul. São pessoas incríveis, daquelas que você fica esperando por uma nova chance de tocar com elas. Então, eu também gravei a bateria para quatro músicas deles. São ótimas pessoas, e estou contente em ter a chance de tocar com eles de novo.

 Você ouviu o EP Lama pronto? Quais são as suas impressões sobre ele?

Vinny: Sim, eu ouvi, e acho que ficou realmente muito bom! A sonoridade está muito boa, na época eu indiquei para eles uma pessoa que poderia fazer a mixagem, que tem experiência e que poderia fazer um bom serviço (N.R: ele se refere a Stephen Deacutis, que entre outros, já trabalhou com Overkill e Nuclear Assault). Ele é um profissional muito experiente e hábil, que já havia trabalhado comigo e meu irmão Carmine em outras ocasiões. No fim, o Concreto também acrescentou algumas ótimas sugestões, o trabalho foi muito tranquilo e profissional, e soou realmente muito bem!

Bom saber que você gostou do resultado final. A crítica e os fãs também receberam o EP muito bem, e alguns meses atrás, quando entrevistei o Concreto, eles também se mostraram entusiasmados.

Vinny: Sim, isso é muito importante. Existem muitas bandas fazendo material próprio a sua própria maneira nos dias de hoje, e isso é algo notável. Mas, ao mesmo tempo, você precisa se preocupar com a sonoridade, com a mixagem de cada elemento da sua música. No fim das contas, não adianta você ter ótimas composições se tudo soa uma bagunça, uma desordem… Ninguém vai querer ouvir, e se ouvir, não vai querer repetir. Lama soa muito bem, é um bom registro, estou feliz com ele!

Bem, você está voltando para o Brasil para uma série de shows, e em uma apresentação em especial, em Belo Horizonte, você vai tocar novamente com o Concreto, certo?

Vinny: Sim, isso mesmo! Aliás, além do repertório usual do meu show, nós vamos tocar uma das composições de Lama, então eu estou bem ansioso por isso! Além disso, vamos estar tocando na terra natal do Concreto, e acho que isso é algo bem empolgante, bem interessante de se ver, será um grande show, tenho certeza.

 Você já tocou lá antes com eles, não?

Vinny: Eu acho que sim… Eu já estive muitas vezes por aí, é complicado lembrar todos os nomes, mas eu realmente tenho uma lembrança neste sentido. Mas, o que posso dizer com certeza, é que já toquei com eles, e foi ótimo.

 Além disso, você terá apresentações em Santo André, Botucatu, Campinas… Você já havia estado nesses lugares antes?

Vinny: Não, não, eu ainda não estive em todas essas cidades. Acho que algumas delas são novas para mim, e isso torna tudo ainda mais interessante! Você sabe, estamos sempre na estrada, voamos muito, dirigimos muito, vamos para todos os lugares, e estar em cidades que ainda não estivemos torna as coisas muito excitantes. Como disse, estou ansioso por isso. É uma nova chance de tocar músicas que amo, e conhecer fãs que amam a música que toco. O que posso dizer? Tenha certeza, vai ser muito bom!

Bem, nos shows da Capital Paulista, Botucatu, Campinas e Santo André você estará acompanhado por uma outra banda, formada por alguns dos mais talentosos músicos brasileiros. Nando Fernandes (vocal), Edu Ardanuy (guitarra) e Fernando Giovannetti (baixo) formam um time de respeito!

Vinny: Sim, são mesmo, e fico feliz que as pessoas por aí estejam empolgadas com a presença deles! Na verdade, eu tive a chance de conferir algum material de cada um deles, e fiquei realmente impressionado, eles são ótimos, realmente parecem muito bons! Será divertido tocar com alguns músicos realmente bons no Brasil! E músicos que são do Brasil, o que é ainda melhor!

Pelo que ouvimos, o repertório do show também será especial e existe a possibilidade de executarem o clássico Mob Rules (Black Sabbath, 1981) na íntegra.

Vinny: Sim, o material principal dessa turnê são as músicas do Mob Rules, que, como você disse, é um clássico do heavy metal. Mas também haverá mais coisas especiais, teremos algumas músicas da minha fase no Dio, outras músicas do Black Sabbath que não são do Mob Rules… Cara, vai ser um show imperdível, com um ‘setlist’ realmente impactante. O que eu posso dizer? Se você estiver na área, não perca! Tantos clássicos reunidos em uma noite e com um time como esse, não é algo que acontece todo dia.

Recomendamos Para Você

Veja Também

Close
Close