Live Evil

VISION DIVINE

Manifesto Bar - São Paulo/SP, 31 de março de 2013

Os italianos do Vision Divine voltaram ao Brasil após um longo hiato e se apresentaram para uma plateia calorosa no último dia 31 de março de 2013, no Manifesto Bar, em São Paulo, porém um fator foi preponderante para que isto acontecesse. Além de o vocalista Fabio Lione cantar no Rhapsody of Fire ele agora tem participado de uma turnê com os brasileiros do Angra e isto gera curiosidade do público em saber como ele está, como anda sua voz, principalmente em sua antiga banda. Não estou dizendo que os italianos não têm seus fãs por causa de sua carreira como um todo, pelo contrário, mas o fato do “atual vocalista do Angra” estar no Brasil gera curiosidade, inclusive presenciei várias pessoas com camisetas do grupo brasileiro no show.

A abertura do evento foi do Seventh Seal, que teve a estreia do vocalista Leandro Caçoilo (Soulspell, ex-Eterna) na capital paulista. A banda apresentou um repertório focado em músicas do próximo disco de inéditas, mas também tocou dois covers, Neon Nights (Black Sabbath) e Painkiller (Judas Priest), sendo que este último teve problemas técnicos na bateria fazendo com que a banda errasse ao final do último solo e com isso parar a apresentação bruscamente. O destaque foi para Leandro Caçoilo que cantou diferente do que costumamos vê-lo em ação, com mais garra e força.

Vision Divine veio pra divulgar seu mais recente e sétimo disco de inéditas, Destination Set to Nowhere, por isso teve que fazer um repertório bem extenso só que também focado no último trabalho. Ao todo, eles tocaram nove músicas do novo álbum. Atualmente formado por Fabio Lione (vocal), Olaf Thörsen (guitarra), Andrea “Tower” Torricini (baixo), Frederico Puleri (guitarra), Alessando “Bix” Bissa (bateria) e Alessio “Tom” Lucatti (teclados), os italianos abriram o show de maneira descontraída com The Dream Maker e Beyond the Sun and Far Away.

A qualidade do áudio estava excelente, pois se escutava todos os instrumentos com exatidão, inclusive o microfone de Fabio Lione estava bem equalizado. O único ponto negativo ficou por conta do jogo de luzes do Manifesto Bar, que quase sempre deixam a apresentação sombria e soturna – este, aliás, é o único ponto falho do bar, em minha opinião. The Streets of Laudomia e Violet Loneliness, ambos de 9 Degrees West of the Moon (2009), trouxeram a veia mais progressiva do Vision Divine de volta para o palco do Manifesto Bar – Olaf Thörsen se destacou perante os demais pela presença de palco e excelente técnica. Fabio brincou com o público dizendo que não é muito fã de futebol, mas que gosta de assistir a “Copa do Mundo” e que fora a Itália, seu país natal, gosta de ver o Brasil jogar porque sempre pensamos no ataque e não na defesa.

O show seguiu com seu curso normal com as faixas Colors Of My World , Of Light and Darkness (do primeiro disco), Message to home, Taste of a Goodbye, The Lighthouse  e Mermaids from their Moons, mas quando o Vision Divine apresentou Wasted Years, uma perfeita versão para a música do Iron Maiden, eis que Fabio Lione esquecerá de algo importante para a apresentação. Após a banda tocar The Miracle, o vocalista lembrou o público de que teríamos uma participação especial no show, só que ele havia se esquecido de chamar ao palco. O convidado era nada mais, nada menos, do que Ricardo Confessori (Angra, Shaman), atual companheiro de Lione no Angra. A idéia inicial era de que ele tocasse Wasted Years, mas como o vocalista esqueceu, fizeram uma excelente versão para Highway Star (Deep Purple) ali na hora mesmo, de improviso, pelo menos foi o que pareceu – normalmente, ou quase sempre, tudo em um show é milimetricamente ensaiado. Na sequência, fecharam a primeira parte da apresentação com The House of the Angels.

Com a plateia extasiada com a surpresa e o desempenho dos músicos, a banda fechou o show com Destination Set to Nowhere, The Ark e a clássica Send me an Angel, do álbum de mesmo nome. É aquela coisa que ando falando em algumas resenhas, o Power Metal pode não estar em sua melhor fase de público e criatividade, mas bandas como o Vision Divine deixam vivo aquele sentimento de esperança para os fãs.

Set list – Vision Divine:
“Intro (S’Io Fosse Foco)”
“The Dream Maker”
“Beyond the Sun and Far Away”
“The Streets of Laudomia”
“Violet Loneliness”
“Colors Of My World”
“Of Light and Darkness”
“Message to home”
“Taste of a Goodbye”
“The Lighthouse”
“Mermaids from their Moons”
“Wasted Years” (Iron Maiden)
“The Miracle”
“Highway Star (Deep Purple)” (com Ricardo Confessori, do Angra)
“The House of the Angels”
Bis
“Destination Set to Nowhere”
“The Ark”
“Send me an Angel”

Set list – Seventh Seal:
 “Intro”
“King”
“Time To Go”
“Neon Nights” (Black Sabbath)
“Beyond The Sun”
“Seventh Seal”
“Mechanical Souls”
“Painkiller” (Judas Priest)
“Pleasure”

 

Recomendamos Para Você

Veja Também

Close
Close